Feeds:
Posts
Comentários

Archive for março \29\-02:00 2012

Cinomose não tem cura e o tratamento se restringe aos sinais secundários da doença

Cinomose não tem cura e o tratamento se restringe aos sinais secundários da doença

EXCLUSIVO | NO SEGUNDO post da série publicada aqui no CaninaBlog, o diretor clínico e médico veterinário do Hospital Veterinário Pet Care Marcelo Quinzani tira as principais dúvidas sobre a Cinomose. Saiba tudo sobre esta virose que atinge não só os cachorros domésticos, mas toda a família de Canideos e animais silvestres como furões, doninhas, guaxinins, gambás e até alguns felinos – exceto o gato doméstico.

COMO um cachorro adquire a doença?

PELO contato direto com animais infectados que passam a eliminar o vírus nas secreções, como saliva, secreção ocular e nasal, na urina e nas fezes.

COMO prevenir a doença?

O MÉTODO mais eficiente de prevenir a doença é com a vacinação que deve se iniciar com 35 a 45 dias de idade e depois com reforços anuais. Assim como evitar que o animal tenha contato com animais de origem desconhecida, quer sejam cães de rua ou outros animais silvestres como guaxinins, gambás e felinos.

A vacinação é a melhor forma de se evitar a doença, afirma veterinário

CADELAS infectadas podem transmitir para os filhotes?

A INFECÇÃO intra uterina é considerada rara, mas pode ocorrer nas cadelas que não possuem anticorpos contra a doença (nunca vacinadas), podendo levar ao aborto ou neonatos infectados que passam a desenvolver a doença com 4 a 6 semanas de vida. O mais comum é a cadela vacinada ou com anticorpos, passar os anticorpos que possui contra a doença por via mamária (pela ingestão do colostro pelos filhotes que ocorre nas primeiras horas de vida) e esses anticorpos vão proteger os filhotes até 35 a 45 dias de idade, quando o número de anticorpos começa a diminuir. Por isso o início da vacinação ocorre nessa idade.

EXISTE tratamento ou cura?

INFELIZMENTE, o tratamento se restringe aos sinais secundários associados a doença, como pneumonia, infecções oportunistas, vômitos e diarréias. Além do controle da dor e das convulsões. Não existe tratamento curativo e contamos somente com a imunidade do animal e do tratamento de suporte para enfrentar a doença.

QUANDO sacrificar se torna a única alternativa?

NORMALMENTE, quando esgotados todos os recursos terapêuticos e quando a doença compromete a qualidade de vida do paciente sem chance de recuperação. Associado a isso, temos que considerar o risco desse animal doente e sem chance de cura estar espalhando o vírus no ambiente e contaminando outros animais.

CONFIRA o primeiro post da série sobre Cinomose publicada aqui no CaninaBlog:

Cinomose: Primeiros sintomas

Vacinas: Questão de saúde ou falta de informação?

Read Full Post »

O cachorro vencedor levará uma fantasia de coelho pra casa como esta da imagem

PÁSCOA | SE VOCÊ já acha seu cachorro o ser mais fofo deste mundo, já imaginou seu peludo ainda fantasiado de coelho? Isto pode ser tornar realidade com a criação da promoção de Páscoa do CaninaBlog e a loja virtual de Pet Super Luxo.

O PRÊMIO é uma fantasia de pelúcia amarela de Coelho para cães com 4 até 9 quilos, como esta mostrada na imagem de abertura. A fantasia serve para cachorros de raças como Poodle Toys e Cockers, por exemplo. Quer participar da promoção? Então confira o passo a passo.

A loja virtual Pet Super Luxo vende vários tipos de fantasias para cães

REGRAS da promoção

PARA concorrer a uma fantasia de Coelho da loja virtual Pet Super Luxo, bastam três passos.

1. Dê um Curtir no FanPage do CaninaBlog;

2. Deixe o nome, raça e peso do seu cachorro nos comentários deste post;

3. Depois, é só curtir o FanPage da loja Pet Super Luxo no Facebook.

SIMPLES assim,  você estará concorrendo a uma (1) fantasia de coelho para cachorros de 4 até 9 quilos. Você tem até o dia 2 de abril de 2012 para participar, já o nome do felizardo será publicado no dia seguinte (3). Até a Sexta-feira Santa, seu cachorro estará vestido a caráter para curtir a Páscoa.

VEJA também no CaninaBlog:

Carnaval: Seu cachorro fantasiado de super pet

Prontos para o Halloween

Opções para a cesta do Coelho da Páscoa

Read Full Post »

A teobromina, presente no chocolate, é nociva para o sistema nervoso central dos cães

SAÚDE | CHOCOLATE é uma delícia, mas deve ser consumido com moderação pelo seu alto valor energético (e engordativo). Pelos cães, entretanto, o chocolate que compramos em supermercados, por exemplo, nunca deve ser consumido. Isso porque essa delícia possui uma substância chamada teobromina que é tóxica para peludos. “A teobromina é nociva para o sistema nervoso central causando alterações neurológicas, assim como alterações hepáticas que ocorrem em decorrência do excesso de gordura presente nesses alimentos”, revela a veterinária Elaine Pessuto, diretora clínica e coordenadora do curso de Auxiliar Veterinário do CETAC (Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia).

ATÉ OS chocolates amargo e meio amargo contém essa substância, mesmo que em menor concentração. É por isso que algumas empresas se especializaram em chocolates para pets que não contém teobromina e açúcar. Entretanto, com tanta oferta de chocolate pela casa nesta Páscoa, acidentes podem acontecer e seu cachorro pode roubar aquele ovo que você ganhou de presente. Neste caso, como reagir?

Diarréias, vômitos e hiperatividade são comuns em cães que consumiram chocolate, explica a vet Elaine Pessuto

PRINCIPAIS sintomas da intoxicação

REAÇÕES alérgicas como diarréias, vômitos e hiperatividade são comuns em cães que consumiram chocolate, explica Elaine. “Os animais podem apresentar, dependendo da concentração da teobromina presente no chocolate e do volume ingerido, reações neurológicas sérias, como convulsões, ataxias, incoordenação, nistagmo (alteração do movimento dos olhos) e até coma”, explica.

COMO reagir

AO PERCEBER qualquer mudança no comportamento do animalzinho que consumiu chocolate é necessário levá-lo imediatamente ao veterinário mais próximo. O médico irá conduzir o atendimento de acordo com a sintomatologia, ou seja, se o animal estiver apresentando sinais gastroentéricos ele irá tratar com soro e medicamentos protetores. Caso o animal esteja com sinais neurológicos, ele irá tratar e provavelmente manter o animal em observação.

QUANDO vemos um animal ingerindo um alimento tóxico também podemos induzir o vômito. “Para isso é importante que o animal esteja consciente e podemos fazer com que ele beba uma dose de salmora  morna (misture uma quantidade de sal na água até ele começar a decantar, ou seja, descer )”, revela a veterinária. Esta mistura fará o cachorro vomitar o que acabou de ingerir, diminuindo a absorção. Mas Elisa explica que essa medida não exclui jamais a ida ao veterinário.

DICA extra: Vale lembrar que embora não tenha teobromina em sua composição, o chocolate branco possui alta concentração de gordura que faz muito mal a médio e longo prazo para os animais. A ingestão do chocolate branco também pode levar a uma gastroenterite aguda.

VEJA também no CaninaBlog:

Alimentos perigosos para os cães

Novo petisco sabor banana

Opções para a cesta do Coelho da Páscoa

Read Full Post »

Chico Anysio ao lado das suas constantes companhias, a mulher Malga e a Maltês Nina

EXCLUSIVO | PROFESSOR Raimundo, Bento Carneiro, Azambuja, Fumaça, Jovem ou Nazareno. O humorista Chico Anysio criou, ao longa da sua carreira, mais de 200 personagens. Entre os quais Bolada, um sujeito fanático por futebol e que vive na companhia do seu melhor amigo, o cachorro Jorge, um peludo malufista.

NÃO importa qual personagem da longa lista é o seu favorito, a verdade é que este cearense que começou a carreira no Rio de Janeiro fez muitas gerações soltarem boas risadas na televisão e no rádio. Somente hoje e pela primeira vez ao quase completar 81 anos, Chico Anysio fará muitos fãs deixarem o sorriso de lado com a notícia da sua morte.

Humorista era devoto de São Francisco, o santo protetor dos animais

NOS últimos anos o humorista passou por vários momentos delicados de saúde. Após sua penúltima internação, ao lado da esposa e na companhia da cadelinha da família, a Maltês Nina, Chico Anysio contou aos repórteres que só tinha um arrependimento na vida: “ter fumado durante 40 anos”. Nas suas últimas fotos divulgadas ao grande público, Chico pousou ao lado de uma quadro de São Francisco, o santo protetor dos animais e em quem depositava toda sua fé.

CHICO Anysio morreu em decorrência de um enfisema pulmonar no Rio de Janeiro e deixa 8 filhos, esposa e a cadelinha Nina.

VEJA também no CaninaBlog:

Dia de Finados e os cães que deixam saudade

Marilyn Monroe sob o ponto de vista de Maf, seu cachorro

Steve Jobs e sua contribuição cachorreira

O lado cachorreiro de Amy Winehouse

Read Full Post »

O ator Eduardo Mossri interpreta as emoções no menino Ivan nas ruas da Rússia

CULTURA | IMAGINE uma versão urbana e cachorreira da famosa história de Mogli, o Menino Lobo, que inspirou um desenho animado dos estúdios Disney. Esta é a ideia da peça de teatro Ivan e os cachorros em cartaz no Teatro Cultura Inglesa no bairro de Pinheiros em São Paulo. A história, interpretada pelo ator Eduardo Mossri, mostra a vida do menino Ivan Mishuko, que na década de 90 viveu a ruína do sistema comunista na Rússia e a instalação de uma grande crise financeira.

A SITUAÇÃO econômica russa forçou muitas famílias a abandonar seus animais de estimação ao não conseguirem alimentar os próprios filhos. Foi neste cenário e por conviver com a violência familiar, que o menino Ivan se viu forçado a viver  com apenas 4 anos de idade nas ruas da capital Moscou na companhia de uma matilha. Foi por este convívio tão extraordinário com os cães que Ivan foi considerado pela mídia local uma versão urbana do personagem Mogli, e ganhou o noticiário.

A PEÇA dirigida no Brasil por Fernando Villar, já estreou na Inglaterra e simultaneamente em Nova York e São Paulo em maio de 2011, e ganhou versões na Alemanha, Holanda e Geórgia. Além de ter sido indicada ao maior prêmio de teatro do Reino Unido, o Laurence Olivier Award 2011 na categoria Outstanding Achievement in Affiliate Theatre.

Peça estará em cartaz até 01 de Abril de 2012

PROCURANDO um programa para o fim de semana? Então não perca tempo, pois a peça Ivan e os cachorros fica em cartaz só até o dia 01 de Abril de 2012.

IVAN e os cachorros

Sábados e Domingos às 20:30 hs

03 de Março até 01 de Abril de 2012

Teatro Cultura Inglesa-Pinheiros

Rua Deputado Lacerda Franco, 333, Pinheiros.
Telefone: (11) 3095 4466

Duração: 70 minutos

Preço: R$ 20

Censura: 14 anos

www.ivaneoscachorros.com.br

VEJA também no CaninaBlog:

Tintim e o inseparável Milu agora no cinema

Teatro infantil conscientiza sobre abandono de cães

Um cachorro (quase) perfeito ganha vida no teatro

Read Full Post »

Febre, apatia, depressão e perda de apetite são os primeiros sinais da doença

EXCLUSIVO | A DOENÇA ainda é considerada endêmica no Brasil, ou seja, ainda ocorre com frequência dentro do território nacional. Mas não se trata de uma novidade no mundo. Na verdade, a Cinomose foi registrada pela primeira vez há mais de cem anos. Foi o veterinário francês Henri Carré que em 1905 descobriu que a Cinomose é uma virose que atinge várias famílias de Canideos (cães), furões, doninhas, guaxinins, gambás, hienas, quatis, leões marinhos, focas, morsas e até alguns felinos – exceto o gato doméstico.

PELA grande extensão de raças vítimas deste vírus, a doença não foi extinta nem mesmo em países chamados de primeiro mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, a doença é considerada controlada em animais domésticos, embora ainda seja encontrada ainda em animais silvestres.

NO BRASIL o grande problema são os cães de rua ou que vivem em regiões muito carentes. “As campanhas de vacinação públicas não oferecem essa vacina gratuitamente e assim a população mais carente normalmente encontra dificuldade em vacinar os seus cães fazendo com que a doença permaneça no ambiente”, explica o diretor clínico e médico veterinário do Hospital Veterinário Pet Care Marcelo Quinzani.

A superfície do nariz também pode ficar mais rígida e grossa, explica a veterinária

PRINCIPAIS sintomas

OS EFEITOS do vírus da Cinomose sobre o cão são devastadores. O veterinário explica que após a exposição ao vírus, o animal passa a desenvolver febre e diminuição das células de defesa do organismo. “Depois disso, o vírus caminha pelos gânglios e vias linfáticas e atinge o sistema respiratório, gastrointestinal, urogenital e sistema nervoso central”, complementa.

PARA O dono, os primeiros sintomas visíveis são uma febre insistente por até 6 dias, sinais de apatia, depressão e perda de apetite. Uma diarréia leve também é comum, mas raramente chama a atenção do dono.

SINTOMAS secundários e terciários

A SEGUNDA etapa da doença é no sistema respiratório. É neste momento que surge a conjuntivite e secreções purulentas nos olhos e nariz. “Nesse período pode desenvolver tosse e novamente febre”, relata o veterinário do Hospital Pet Care. “Depois disso o vírus continuando sua migração via sistema linfático e atinge o sistema nervoso central”. Muitas vezes, é só neste momento que os donos do cachorro percebem que há algo errado com o bicho.

JÁ OS sinais neurológicos como uma depressão, cefaléia e até convulsões e movimentos musculares involuntários são facilmente percebidos pelo dono. Há ainda sintomas que parecem não ter ligação com a doença, como o endurecimento das almofadinhas das patas e a superfície do nariz que fica mais rígida e grossa. E dependendo da idade do animal, até mesmo o esmalte dos dentes pode ficar manchado.

QUER saber como se dá a transmissão da Cinomose, como prevenir a doença ou ainda se há tratamento? Então não deixe de conferir o segundo post da série sobre a Cinomose com o diretor clínico e médico veterinário do Hospital Veterinário Pet Care  Marcelo Quinzani que será publicado em breve aqui no CaninaBlog.

LEIA também no CaninaBlog:

Automedicação: Perigo para seu melhor amigo

Cinomose e Leishmaniose: os super inimigos dos cães

Vacinas: Questão de saúde ou falta de informação?

Vacinação canina: O perigo do excesso

Read Full Post »

Confira os vencedores da promoção mais doce da história do CaninaBlog

EXCLUSIVO | COELHINHO da Páscoa o que trazes para mim? Para dois cachorros sortudos, uma caixa cheia de guloseimas caninas da marca V.I.P. dog. Os dois donos dos cães sorteados participaram da promoção feita em parceria com a marca de chocolates para cães e o CaninaBlog que começou há duas semanas pelo Twitter. Agora, terão o prazer de levar duas cestas recheadas de delicias de Páscoa sem cacau e sem açúcar e que não prejudicam a saúde do seu pet.

Ciccilo garante que o prêmio da V.I.P. dog é uma delícia

CONFIRA o conteúdo das duas cestas:

1 caixa de Wafer Bombons (com 10 unidades/ 40g)

1 caixa de Bombons Crocantes (com 10 unidades/ 60g)

1 caixa de Bombons Sortidos (100 g)

1 Banana VIP (com 12 unidades/ 50g)

2 embalagens de Chocovinhos (com 10 unidades cada)

2 embalagens de Chocossinhos Branco (5 unidades/ 20g)

2 embalagens de Chocossinhos Ao Leite (5 unidades/ 20g)

CURIOSO para saber o nome dos dois sorteados pelo Twitter e que ainda vão levar para casa um prêmio surpresa? Então confira os nomes abaixo:

VENCEDOR 1

Diana Raquel Parkert – dona da Hayka

VENCEDOR 2

Rossana Matzenbacker – dona da Eugênia

AS DUAS vencedores têm até esta sexta-feira (23 de março) para mandar uma Direct Message para o Twitter da V.I.P. dog (@Vip_Dog) com o endereço e nome completo para envio dos prêmios. Parabéns aos vencedores e boa Páscoa para todos!

CONFIRA também no CaninaBlog:

Páscoa: Promoção CaninaBlog e V.I.P. dog

Opções para a cesta do Coelho da Páscoa

Coelhinho da Páscoa que trazes para meu pet?

Read Full Post »

É importante escolher bem a raça e dentro da raça o melhor indivíduo

EXCLUSIVO | CONHEÇO muita gente que escolheu a raça do seu cachorro pela estética. Não é a toa que já existem verdadeiras febres de algumas raças. Quem não se lembra quando era “moda” ter um Poodle, Dálmata e, mais recentemente, Bulldog Francês? Há ainda quem escolhe certas raças porque se adaptam bem em apartamento, como o Lhasa Apso e York Shire, por exemplo. Ou ainda evitam outras pela fama de serem violentas, como os Pitt Bulls.

MAS a lógica das raças não é tão simples assim. “É importante escolher bem a raça e dentro da raça o melhor indivíduo”, explica o especialista em comportamento animal Gustavo Campelo. Claro que se deve evitar que um casal de idosos adote um super ativo Border Collie ou que um esportista leve um pesado Bulldog para casa. Entretanto, Campelo adverte: “Devemos fugir das generalizações. As raças nos trazem apenas uma tendência que só se concretiza se o ambiente – a educação dos cães – permitir”.

CAMPELO ainda afirma que mesmo dentro da mesma raça existem indivíduos mais ou menos agitados, medrosos, dominantes. “O correto é pedir ajuda a um profissional que possa auxiliar na escolha do filhote. Quanto mais pessoas fizerem uma boa escolha, menos cães infelizes e abandonados teremos.”

O correto é pedir ajuda a um profissional na escolha do filhote

INFLUÊNCIA do ambiente

O PERÍODO mais crítico de educação de um cão é até 18 meses de vida. Nesta fase, o dono precisa se esforçar e se dedicar na educação do cão. É o momento de investir na socialização, treinamentos de obediência e muitas caminhadas para tornaram seu cachorro equilibrado e amigável. Mesmo raças conhecidas por serem dóceis, como Goldens e Cockers, precisam passar por este processo. “Claro que, após esse período, os cães podem alterar seu comportamento. Mas com um bom trabalho feito até 18 meses é bem provável que o animal terá uma vida tranquila e feliz”, garante o comportamentalista.

DICA EXTRA: O adestramento serve para auxiliar os proprietários na comunicação com os animais, além de ser uma atividade mental prazerosa para os cães. Embora, muitas vezes, o dono só descubra a necessidade do adestramento quando o cachorro demonstra ter algum desvio de comportamento. Problema este que muitas vezes poderia ter ser evitado se o filhote recebesse ajuda nos primeiros meses de vida.

CONFIRA mais dicas de adestramento e comportamento canino com Gustavo Campelo:

Gustavo Campelo: Cachorro pode ficar sozinho em casa?

Dez razões para você NÃO ter um cachorro

Meus filhos querem um cachorro. E agora?

Read Full Post »

Cuidado com aqueles brinquedos que não foram criados para pets, adverte veterinária

COMPORTAMENTO | UM DOS meus maiores prazeres como mãe de cachorro é levar Ciccilo, meu Fox Terrier Pêlo Duro, para passear e fazer compras em uma mega pet shop perto de casa. Ele adora o local, seja pela imensa quantidade de cheiros, comidinhas e, principalmente, a sessão de brinquedos. É preciso levar Ciccilo na rédea curta, literalmente, quando entramos no corredor dedicado aos cães. Bolinhas, brinquedos que fazem barulho, puxadores e ossos são uma verdadeira tentação para meu cachorro. Aliás, eu já tive que pagar por um brinquedo que Ciccilo arrancou da prateleira.

MAS a verdade é que a escolha do brinquedo mais adequado para seu cachorro vai além da beleza ou preço.”Assim como escolhemos um brinquedo para uma criança e a primeira coisa que olhamos é a identificação na embalagem de qual a idade apropriada para utilização do brinquedo, o mesmo deveria ser feito com nosso animal de estimação”, explica a diretora e médica veterinária do Hospital Veterinário Pet Care Carla Berl.

O QUE avaliar na compra

Seu cachorro tem muita energia? Escolha brinquedos que estimulam atividades físicas

O PRINCIPAL é sempre estar atento se o tamanho do brinquedo é adequado para o tamanho do seu bichinho, oriente a médica veterinária. Se for um filhote, opte por materiais que não sejam rígidos, para que ajude na dentição do animal e massageie a gengiva. Se o seu animal de estimação tem muita energia, aproveite para escolher brinquedos que estimulem atividades físicas, como bolas e frisbees.

PERIGO dentro de casa

A ATENÇÃO deve ser dada, especialmente, para aqueles brinquedos que não foram criados para pets. “Animais gostam de brincar com uma série de objetos da casa. Sempre devemos observar qual o risco em potencial deste objeto causar problema”, explica Carla. Bichinhos de pelúcia, por exemplo, podem se tornar um risco se possuírem olhinhos de vidros ou pedaços de panos que podem ser ingeridos. Se o cão é fascinado por uma garrafa pet, a dica é retirar a tampa, para ela não ser engolida por acidente.

MUITO bom senso e cuidado na hora de presentear seu animal de estimação. Se a sua casa tiver crianças, fique de olho nos brinquedos dos pequenos para que o bichinho não brinque com eles também. “Não tem idade para problemas acontecerem, apesar de ser mais comum em animais jovens”, explica a diretora.

CONFIRA também no CaninaBlog

Brincar faz bem à saúde do seu cão

Brinquedos que divertem e ensinam a cachorrada

Brinquedo: Garrafa super divertida

Gustavo Campelo: Meu cachorro destrói seus brinquedos

Read Full Post »

A beleza da pelagem do seu cachorro depende da alimentação e estado de saúde

EXCLUSIVO | TER um cachorro com uma pelagem bonita vai muito além da qualidade do xampú e do condicionador utilizados no pet shop. Assim como a pele humana, que precisa ser bem hidratada de dentro pra fora para ser bonita, os cães também precisam de uma alimentação balanceada para ter um pêlo brilhoso e sedoso. Enfim, com cara de saudável.

É BOM esclarecer, entretanto, que mesmo os cães mais saudáveis soltam pêlos. ”Existe uma queda de pelo normal que ocorre na mudança das estações”, explica a zootecnista Tula Verusca Pereira, do blog Cão Natural. Mas qual é a função dos pêlos para um cachorro? Será que pêlos curtos caem mais que os longos? A zootecnista Tula respode estas e outras dúvidas sobre nossos peludos. Confira abaixo:

Todo cachorro perde pêlo, seja pelagem longa ou curta

FUNÇÃO dos pêlos

OS pelos são responsáveis pela proteção mecânica bem como a térmica, por isso todos os cães possuem duas camadas de pêlo. O sub-pêlo é fino e ajuda na regulação térmica, seja no frio seja no calor. Já o pêlo propriamente dito é mais grosso e pesado. Somente poucas raças, como o Cão Pelado Mexicano, não possuem nenhum pêlo em grande parte do corpo.

QUEDA da pelagem

O PÊLO cresce em fases e durante estas fases pode cair, além disso, filhotes também perdem a pelagem de forma súbita enquanto chegam atingem a vida adulta. Mas doenças metabólicas, utilização de remédios ou doenças infecciosas também podem causar a queda. Outra fase em que o pêlo pode cair é a de repouso, quando a queda se dá por eventos estressantes como cirurgias e doenças. Também existe uma queda de pêlo normal que ocorre na mudança de estação, como do outono para a primavera.

QUANDO a queda é uma preocupação

O CACHORRO deve ser levado ao dermatologista quando o pêlo estiver sendo mal formado, o que sugere doenças metabólicas e nutricionais. Ou ainda quando estiver no eixo normal e claramente quebrado, pois isso sugere um trauma como lamber ou arranhar. Já mudanças que mostram problemas nutricionais são pelo seco, sem brilho, que cai facilmente, com lento crescimento e com alteração na cor.

Doenças e estresse também podem causar a queda do pêlo

PÊLO longo ou curto

TANTO cães de pêlo curto quanto os cães longo soltem pelo igualmente. Contudo, nos de pelagem longa o pêlo que soltou enrola no outro, já no curto não tem esse subterfúgio e precisa ser escovado para cair.

ALIMENTAÇÃO

OS PÊLOS são formados entre 65 e 95% de proteína. Sendo assim, o consumo de proteína de baixa qualidade pode influenciar diretamente na qualidade do cabelo. Para se ter a ideia da importância da proteína, cães pequenos de pêlo longo chegam a utilizar 30% da proteína dietética para o crescimento do pêlo, enquanto os cães grandes de pelo curto podem precisar apenas de 10% da proteína dietética para o crescimento da pelagem.

IDENTIFICANDO os problema no pêlo

PARA o crescimento adequando do cabelo é necessário enxofre. Problemas nos pêlos também pode sugerir deficiências nutricionais, tais como:

– Falta de ômega 3 – pêlo muito seco, queda e fraco crescimento
– Falta de cobre – perda de coloração, aspereza
– Falta de zinco – perda de cabelo, porém o excesso pode levar a problemas na absorção do cobre.

SE VOCÊ observar alguns destes problemas no pêlo do seu cão, consulte um veterinário ou zootecnista.

VEJA também no CaninaBlog:

Adeus aos pêlos no sofá e na roupa

Estética: A escova certa, na pelagem certa

Coceira e mais coceira: problemas dermatológicos

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: