Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 4 de maio de 2012

Nunca embarque numa viagem surpresa ou de última hora com seu cachorro

EXCLUSIVO | NA ÚLTIMA viagem que fizemos na companhia de Ciccilo, meu Fox Terrier Pêlo Duro, o guia da agência de turismo não parava de comentar como meu peludo parecia curtir cada momento da trilha que fazíamos juntos. “Já levamos cães que choravam com medo de entrar no rio”, comentou o guia de Brotas, no interior de São Paulo (saiba mais). Naquele momento, pensei em como era gostoso passear na companhia de Ciccilo, mas como essa aventura de poucas horas tinha demandado bastante tempo de planejamento da minha parte.

É ISSO mesmo, viajar com seu cachorro exige muito planejamento e não é nada indicado colocar as mochilas e o peludo dentro do carro e sair por ai sem rumo. Sem um plano ou rota definida, você estará sujeitando seu cachorro (e você) a passar momentos de muito estresse e dor de cabeça.

Passeios são indicados para cães dóceis e minimamente comportados

COMO planejar

QUANDO o assunto é turismo canino, uma das maiores especialistas no assunto no Brasil, a proprietária da agência Turismo 4 Patas Larissa Rios dá a dica: “nunca embarque numa viagem surpresa ou de última hora. No mínimo você tem que se certificar de que o seu animal será bem-vindo no lugar e que está em boas condições de saúde para a viagem”. Portanto, ligue para o hotel, parque ou para qualquer local do seu destino antes de viajar.

MAS como reagir se meu cachorro não curtir o passeio ou aventura planejadas, como comentou nosso guia em Brotas? “Se ele não quer participar, não force a situação”, indica Larissa, “não empurre o seu animal na água, não o puxe pela coleira durante a trilha. Enfim, respeite-o”. Além disso, a agente de turismo pet relembra: “Não esqueça dos cuidados básicos, como a hidratação, alimentação e higiene”. Ou seja, nada de largar sacolinhas com fezes do seu pet pela trilha ou deixá-lo sem comer depois de horas de exercícios físicos.

ANTES de viajar

PARA PASSEIOS como trilhas, banhos de rio ou uma caminhada mais urbana é importante que o animal seja dócil e minimamente comportado. “É importante que ele responda bem aos comandos do dono, que seja sociável com outros animais e outras pessoas”, explica Larissa.

O PET também deve ter a própria bagagem com todos seus itens pessoais, como: caminha, brinquedos, itens de higiene pessoal e, principalmente, ração em quantidade suficiente para a duração da viagem. “É muito importante fazer com que o animal se sinta o mais próximo possível do ambiente ao qual está acostumado, inclusive mantendo a sua rotina normal quanto aos horários de alimentação e de necessidades básicas (xixi e cocô)”, indica.

O BICHO deve ter sempre uma etiqueta de identificação na coleira, informando o nome dele e um número de telefone para contato, caso ele venha a se perder durante a viagem.

“INDEPENDENTEMENTE do meio de transporte escolhido, o conforto e segurança do cachorro devem ser prioridades.” Se a viagem for de carro, não esqueça de providenciar um cinto de segurança ou caixa de transporte adequados para seu pet. Se você optar pelo avião, confira com bastante antecedência se seu cachorro poderá viajar na sua companhia e sob quais regras. Com tudo planejado, você e seu pet estarão prontos para curtir uma viagem canina e divertida.

CONFIRA mais informações sobre turismo pet aqui no CaninaBlog:

Promoção: Mamãe e peludo conhecendo SP juntos

Turismo canino: Como escolher o melhor destino

Viagem para o exterior com seu cão: estresse ou relax?

Nós testamos o cinto de segurança da Bracannes

Anúncios

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: