Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Perfil canino’ Category

VÍDEO | ACABO de descobrir uma série fantástica de vídeos criados pelo canal de televisão Animal Planet – e o melhor, está disponível no Youtube. Claro que não podia deixar de compartilhar com meus leitores. A série 101 Dogs traz pequenos vídeos explicando a origem, comportamento e características físicas de várias raças de cães.

COM base em entrevistas com criadores e adestradores, bem ao molde do Perfil Canino que publicamos aqui no CaninaBlog, os vídeos mostram aquelas características que toda pessoa interessada por qualquer raça de saber antes de levar um filhote para casa.

NO vídeo que coloquei na abertura deste post, por exemplo, mostra que o Jack Russel é um cão super ativo e por isso precisa de pelo menos uma hora de exercícios (não só passear, mas correr), tem uma pelagem fácil de cuidar e recomenda-se ser adestrado por alguém com experiência prévia no assunto.

QUER conferir a série completa de 101 Dogs disponível no Youtube? Então clique aqui e assista todos os vídeos disponíveis.

Reality show ajuda a encontrar cachorro ideal

Martha, uma cadela bilíngue

Catástrofe canina e infantil na TV e em livro

Read Full Post »

Raça possui temperamento dócil e alegre, por isso é chamado de cão da família

PERFIL CANINO | ELES são perfeitos cães de trabalho, atuando como guias de deficientes visuais e até farejadores de bombas e vítimas. São delicados com crianças e pessoas idosas, por isso muito recomendados na terapia animal. Tudo isso sem deixar de ser um cão rústico que precisa de poucas idas ao pet shop e que exige somente uma escovação semanal.

PARA quem tem ou já teve um cão da raça Labrador, este é o cachorro perfeito para qualquer família. “A característica principal da raça é o temperamento sempre dócil e alegre, jamais demonstrando qualquer traço de agressividade ou timidez”, afirma o coordenador geral do Conselho Brasileiro da Raça Labrador (CBRL), Roberto Rodrigues Júnior. Para se ter uma ideia do seu carisma canino, é a raça mais popular dos Estados Unidos nos últimos 25 anos e no Brasil sua fama não para de crescer.

MAS toda essa docilidade também é uma demonstração do quanto um Labrador precisa de companhia. “Todos os Labradores são dependentes do seus donos”, afirma Roberto, que também é proprietário do Canil Summer Storm, localizado em São Bernardo do Campo (SP). Isso significa que um Lab gosta de participar da rotina da casa, detesta estar sozinho e demonstra muito afeto inclusive com estranhos. “Caso não seja possível que fique dentro de casa, o ideal é providenciar um companheiro ou companheira canina”, recomenda o criador.

VOCÊ é apaixonado por Labrador? Então confira mais características da raça e descubra se você é o dono ideal para este cão eclético.

Labradores podem ser totalmente pretos, amarelos ou chocolate

PERSONALIDADE | Temperamento dócil e alegre, não demonstra traço de agressividade ou timidez. Facilmente adestrável.

LONGEVIDADE | Vive em média de 10 a 12 anos.

TAMANHO | Fêmeas variam de 34 a 40 quilos, machos de 38 até 46 quilos.

PELAGEM | Totalmente preto, amarelo ou chocolate.

CUIDADOS | Escovação semanal e banhos somente quando necessário pois precisam manter a oleosidade natural. Banho a seco é recomendado para eliminar odores. Para isso, basta uma solução com água (90%), vinagre (5%), álcool (5%) e uma toalha, deixando secar naturalmente.

ESPAÇO | Cães com um nível de atividade de média para alta. Isto significa que podem viver em apartamentos, desde que faça passeios pelo menos duas vezes ao dia. Do contrário, recomenda-se um quintal de tamanho médio.

SAÚDE | Tendência para doenças genéticas como Displasia cox femural e de cotovelo, atrofia progressiva da retina e problemas cardíacos. Por isso é tão importante adquirir um filhote de um criador sério que controla tais doenças.

SOCIABILIDADE | Convive bem outros animais, inclusive do mesmo sexo e já adultos, com gatos e outros animais domésticos, isso se acostumado desde pequeno.

PREÇO | Varia de R$ 1.800 até R$ 3.000 com pedigree.

DICA DO CRIADOR | Ao escolher o filhote de um criador, fique atento a rotina do canil e a forma como ele trata cães mais velhos. Verifique se ele oferece garantias, contrato de compra e venda e se realizou exames na ninhada.

DONO IDEAL | Labradores são muito ecléticos, convivem bem em família, com pessoas idosas que desejam companhia e com crianças que precisam de um amigo com muita energia.

(Fonte e imagens: Canil Summer Storm)

Antes de adquirir um filhote, verifique se o criador investigou problemas genéticos

Read Full Post »

A raça Golden Retriever pode ficar na lista das top 10 em beleza quando filhote

EXCLUSIVO | QUEM não se derrete quando encontra um filhote de cachorro? É algo magnético, fica impossível não soltar um: “aaaaah, que fofo!”. Acredito até que todo este charme infantil é uma questão estratégica, pois os seres humanos não conseguem resistir e acabam levando o bichinho para casa. Aliás, muitos de nós adoraríamos que eles ficassem daquele jeito e tamanho, não é mesmo? Talvez por isso tanta gente adore cães de porte extremamente pequeno.

Com essa expressão carente e orelhas imensas, quem resiste a um Cocker Spaniel filhote?

MAS, temos que reconhecer, alguns cães são mais fofos do que outros nessa fase da vida. Ou será que estou equivocada? Conversando com alguns amigos, selecionei algumas raças que são super (mega) fofas quando estão naquela fase da vida quando nem comemoram o primeiro aniversário.

ENTRETANTO, como o CaninaBlog é um espaço democrático, fique a vontade para adicionar nos comentários deste post ou no Facebook aquela raça que você considera a mais fofa deste mundo quando ainda é um doce bebê.

LEIA também no CaninaBlog:

Opinião: Cães de raça versus vira-latas

Adoção: Cachorro adulto ou filhote?

Bernês: um cão de família

Golden Retriever: puro cérebro e coração

Antes de atingir até 60 quilos, Bernês é um filhote de grande fofura (Foto: Tal Lieven)

Read Full Post »

Alerta e corajoso, o Rottweiler impõe sua presença com bastante respeito e eficiência

PERFIL CANINO | SEUS 50 quilos bem distribuídos e a cor preta da pelagem são um aviso: aqui, ladrão não entra. Afinal, quem teria coragem de enfrentar um Rottweiler, um cão que, desde a origem, foi valorizado pelos Romanos e depois pelos alemães pela sua força. “A teoria mais aceita é a de que o Rottweiler descende dos cães molossos, que os romanos levavam em suas marchas através da Europa”, explica a proprietária do canil Reserva Negra Rottweilers, Cíntia Belloc Moreira, de Porto Alegre (RS). Já na Alemanha sua fama de cão forte e valente lhe deu a denominação de “Rottweiler Metzgerhund”, algo como cão de açougueiro de Rottweil, uma região alemã.

"Cão próprio para o convívio familiar", afirma a criadora Cíntia Belloc Moreira

NO SÉCULO XX descobriu-se que o Rottweiler era mais do que força e tamanho. “Alerta e corajoso, impõe sua presença com bastante respeito e eficiência. Ao mesmo tempo, é um cão próprio para o convívio familiar”, afirma a criadora. Aliás, Rottweiler não é o tipo de cão indicado para quem quer somente um cão de guarda para a parte externa da casa. “Eles precisam do contato com os membros de sua família, pois são cães muito companheiros, amáveis e inteligentes.”

LIDAR com um cão de grande porte, entretanto, exige muita disciplina e adestramento. Afinal, são 50 quilos de força e dentes e se não for educado com disciplina, pode tornar-se um bicho sem controle. “São cães ciumentos, dominadores e obstinados. O proprietário de um Rottweiler precisa ter pulso firme”, alerta a criadora.

INTERESSADO pela raça Rottweiler? Então confira mais sobre a raça e se você tem o perfil ideal para um cão deste porte e doçura.

Raça possui um pêlo rústico de comprimento médio e denso

PERSONALIDADE | Excelente cão de guarda e ótimo companheiro para a família.

LONGEVIDADE | Entre 9 e 12 anos.

TAMANHO | Cerca de 50 quilos para machos e 42 quilos para fêmeas.

PELAGEM | Cor preta com marcações em tom castanho bem delimitadas nas faces, focinho, garganta, peito, pernas, acima dos olhos e sob a raiz da cauda. Escovação semanal e banhos mensais, já que não exalam cheiro forte.

CUIDADOS | A raça possui um pêlo rústico de comprimento médio e denso. Por esta razão, sentem muito calor durante o verão. É importante sempre deixar água e abrigo do sol à disposição.

Por ser um cão de trabalho, quanto mais espaço e exercício melhor

ESPAÇO | Por ser um cão de trabalho, quanto mais espaço e exercício melhor. Precisa de boas doses de exercícios diários para desenvolver a massa muscular e não fique entediado.

SAÚDE | Filhote pode ser acometido pela doença viral chamada Parvovirose. Além disso, outra doença comum à raça é a displasia coxo-femural, uma má formação das articulações coxofemorais, que pode ser potencializada pelo sobrepeso e pisos escorregadios.

SOCIABILIDADE | Pode e deve conviver com outros cães, desde que bem socializado. Mas a convivência entre dois machos não é recomendada, pois são bastante ciumentos e dominadores. 

PREÇO | Varia de R$1.000 aR$ 1.500.

DICA DO CRIADOR | Na hora de escolher o filhote, procure os mais espertos, brincalhões e curiosos. Filhotes medrosos ou acuados podem tornar-se excessivamente agressivos quando adultos. 

DONO IDEAL | Uma pessoa que já tenha alguma experiência com cães e que esteja disposta a ser responsável por sua educação e treino para o resto da vida deste cão. Além disso, é necessário que a pessoa tenha disposição para longas caminhadas e exercícios.

PARA conferir mais perfis de raças publicados no CaninaBlog, clique aqui.

(Fonte: Reserva Negra Rottweilers Imagens: Estúdio Lisa Roos Fotografia)

Read Full Post »

O CaninaBlog e a Larousse do Cão e do Cãozinho estão juntos neste post sobre raças

EXCLUSIVO | COM MAIS de 250 raças de cachorros no mundo e com uma comunidade crescente de peludos inéditos chegando ao Brasil, é normal haver confusão entre um cachorro e outro. Entretanto, além das sutis diferenças físicas, algumas raças podem apresentar comportamentos e funções muito diferentes.

PARA ajudar quem vive confundindo tudo, publicamos aqui mais um post “Parece, mas não é” que tem como fonte o super livro Larousse do cão e do cãozinho (Editora Larousse, 384 páginas). Boa leitura!

Exemplar de um Akita

AKITA e Husky Siberiano

Husky surgiu na Sibéria do Norte

ESSAS duas raças são muito antigas, mas com origens bem diferentes. Enquanto a Akita surgiu no Japão há 4 mil anos, o Husky Siberiano nasceu na Sibéria do Norte 2 mil anos atrás. Embora muito parecido com um cão de trenó, o Akita é um cão de guarda que precisa de um dono firme no comando. Já o Husky possui um temperamento bem independente e, geralmente, se mostra um grande fã de crianças.

PARA saber que se trata de um Husky, é muito fácil, basta notar seus inconfundíveis olhos castanhos ou azuis amendoados. Já a Akita tem cauda espessa, que mantém erguida e enrolada sobre os quadris.

Bulldog Francês também é chamado de cão sapo

BULLDOG Francês e Boston Terrier

ESTÁ para nascer uma dupla mais parecida. Esses dois baixinhos entroncados possuem praticamente o mesmo tamanho e peso, além de serem ótimos cães de companhia. Tanto que o Boston Terrier ganhou o apelido nos EUA de “American Gentleman”, sendo que o Frenchie (Bulldog Francês) também é conhecido por ser alegre e muito afetuoso.

Boston Terrier e a marca branca característica

CASO você seja desafiado a distinguir um Bulldog Francês de um Boston Terrier, fica a dica: o padrão do Bulldog Francês exige a presença de um colar branco ao redor do focinho, de uma lista branca entre os olhos e um branco no antepeito. Já o Frenchie mostra uma cabeça forte e enrugada.

Pit Bull

PIT BULL e American Staffordshire

ELES são musculosos, com cara de mau, crânio largo e fortes, muito fortes. As duas raças são tão parecidas que até mesmo criadores experientes confundem os bichos. “O American Staffordshire Terrier e o American Pit Bull Terrier são, na verdade, um só cão que seguiu rumos diferentes”, argumenta Rangel Beker, criador de Staffordshires (Fonte: PetBrazil).

American Staffordshire

POR MUITOS anos, e infelizmente ainda recorrente entre fãs da raça, um Pit Bull é muitas vezes selecionado pela coragem, agressividade, resistência, capacidade de lutar e morder. Já fãs de American Staffordshire tendem a procurar cães corajosos, mas com temperamento confiável e estrutura física bem proporcionada e musculosa.

SÃO Bernardo e Boiadeiro Bernês

São Bernardo vive bem na neve

OS DOIS são peludos, grandes e de origem Suíça. Mas um São Bernardo (55 a 100 quilos) pode pesar até o dobro do tamanho de um Bernês (35 a 40 quilos). Suas funções originais também são bem distintas. Enquanto o São Bernardo ficou famoso por possuir a faculdade de “sentir” por antecipação a chegada de uma avalanche. Um Bernês possui talentos múltiplos, como guia de rebanho e cão de guarda.

Boiadeiro Bernês ou Bernese

A PELAGEM do São Bernardo é densa e mais curta, com um fundo branco e manto vermelho-acastanhado. Sendo que o Bernês é reconhecido pela pelagem preta, manchas fogo acima dos olhos, faces e membros. E, claro, marcas brancas que vão da testa ao redor do focinho, peito e patas.

LEIA também no CaninaBlog:

A confusão das raças: Parece, mas não é

Um livro para todo apaixonado por cães ter na cabeceira

“Fim dos criadores pode extinguir várias raças”

 

Read Full Post »

A função mais popular da raça foi como cão de carruagem acompanhando os cavalos

EXCLUSIVO | O FILME marcou a infância de muita gente. Mas como resistir àqueles filhotes cheios de pintas correndo da perversa Cruela Devil no longa metragem 101 Dálmatas da Disney? Foi justamente no lançamento do filme, no ano de 1996, que a raça se tornou uma das mais populares e ficou muito fácil encontrar um charmoso Dálmata desfilando nas ruas do mundo inteiro.

ATÉ uma especialista na raça, a proprietária do Canil Dalsfort Rachel Fradique, reconhece que a característica mais marcante da raça Dálmata são as pintas. “Nenhuma outra raça é assim, eles têm essa pelagem singular que de longe chama atenção e encanta a todos por onde passa”, declara a criadora sem disfarçar a paixão.

Dálmatas são fãs de esportes caninos

E COMO resistir à uma raça que sorri? É isto mesmo, segundo Rachel, é muito comum exemplares da raça que, quando ficam muito felizes, mostram todos os dentes como num sorriso humano. “Muita gente chega a achar que é agressividade, mas que nada. É apenas um sorriso cheio de dentes”, relata.

MAS não se deixe seduzir por tanto charme, Dálmatas precisam de pulso firme e disciplina desde filhotes. “Por serem muito inteligentes, por vezes são taxados como cães teimosos, portanto precisam de um dono mais teimoso ainda”, explica a criadora. Isto significa que a raça carece de motivação, pois se não for interessante para o cão, ele simplesmente não faz o que o dono manda. “O dono de um Dálmata deve ser persistente, paciente e disposto”, recomenda a dona do Canil Dalsfort de Fortaleza (CE).

VOCÊ também é um apaixonado por Dálmata? Então continue lendo este Perfil da Raça e verifique se você é o dono ideal para esse cão cheio de pintas:

PERSONALIDADE | São carinhosos e adoram abraçar o dono. Muito inteligentes e por isso igualmente persistentes.

LONGEVIDADE | Cerca de 13 anos.

TAMANHO | Machos até 32 quilos e fêmeas até 29 quilos.

O dono ideal é aquele que gosta de atividades ao ar livre

PELAGEM | Pintas nas cores preto ou fígado com o fundo branco puro. Os filhotes nascem brancos e, com o passar dos dias, as pintas vão aparecendo na pele e posteriormente no pêlo. Os cães que já nascem com uma mancha (e não pinta) preta são chamados de patchs e não podem participar de exposições de beleza.

CUIDADOS | Dálmatas com olhos azuis ou de duas cores são muito bonitos. Entretanto, segundo a criadora, não devem ser reproduzidos, pois a surdez tem relação com os olhos azuis.

ESPAÇO | É uma raça bem ativa e precisa de exercícios regulares, uma casa com bastante espaço é o ideal. Se adaptam a lugares menores contanto que sejam supridas suas necessidades diárias de exercício, caso contrário podem se tornar destrutivos e agressivos.

SAÚDE | Cálculo renal é algo comum na raça, por isso é bom redobrar o cuidado. Sendo que o problema genético mais comum é a surdez.

SOCIABILIDADE | Costuma se dar bem com outros cães e animais, mas deve ser socializado desde filhote. No passado acompanhava carruagens e até hoje tem afinidade com cavalos.

PREÇO | Varia de R$ 800 a R$ 1.500 com pedigree.

DICA DO CRIADOR | Se o filhote até dois meses e meio ainda não mostrar as pintas pretas ou fígado, não irá surgir mais. Ao procurar um filhote, observar se tem o “lápis’’ em torno do olho, o contorno deve ser completo.

DONO IDEAL | Dálmatas não são cães para qualquer pessoa, precisam de pulso firme e disciplina desde filhotes. O dono ideal é aquele que gosta de longas caminhadas, atividades ao ar livre e esportes caninos.

(Fonte e imagens: Canil Dalsfort)

As pintas devem aparecer nos filhotes até dois meses, depois disto, não surgirão mais

Read Full Post »

"Pastorear para eles é como andar ou correr, faz parte do que eles são”, diz criadora

EXCLUSIVO | A IMAGEM de cachorros como animais de companhia é tão forte hoje em dia que acabamos esquecendo das suas múltiplas funções. Um cão que busca a bolinha para o dono é uma prova disso: eles gostam de ser úteis. Existe, no entanto, um grupo que ama trabalhar para seu dono, são os chamados cães de pastoreio. “Eles são obcecados por trabalho. Pastorear para eles é como andar ou correr, faz parte do que eles são”, explica a criadora de Blue Heeler, Thaís Rodrigues, proprietária do canil Heeler Valley de Brasília (DF).

A PAIXÃO de Thais por cães de pastoreio começou quando montava cavalos na infância. “Neste ambiente, os Border Collies eram a raça mais comum, mas de vez em quando via um desses cães, com cara de vira-latas, que seguiam os donos pra todos os lugares e eram excelentes na lida com gado”, recorda Thais. Era a raça, também chamada de Pastor Australiano e Cão Boiadeiro, chegando às fazendas do Brasil.

HOJE é possível encontrar muitos cães de pastoreio, como o próprio Heeler, além do Collie e Pastor de Sheatland sendo criados bem longe do ambiente rural. Segundo Thais, cães desse tipo podem morar na cidade e até mesmo em apartamentos. Entretanto, é responsabilidade de dono fazer com que seu cão não fique frustrado ou acomodado. “Não precisa ser um trabalho com gado, agility, corrida ou mesmo salvamento. Atividades que exijam faro ou qualquer outra tarefa que demande fisica e mentalmente do cão fará com que ele fique feliz”, afirma.

CONFIRA abaixo as melhores partes da entrevista da criadora de Blue Heeler Thaís Rodrigues deu para o CaninaBlog:

CANINABLOG:Quais são as principais funções dos cães de pastoreio no campo?

Thais e uma das suas paixões, Artemis

Thaís Rodrigues: Esses cães são utilizados para as mais variadas funções, como buscar e levar o rebanho para o pasto; entrar na mata fechada onde cavalos e homens não entram; auxiliar no transporte de rebanhos, manter os animais controlados e em segurança e até defender de predadores. Funções essas que exigiriam dois ou três homens e cavalos e que um cão faz sozinho.

CANINABLOG: Este talento é totalmente instintivo ou eles precisam de treinamento?

Thaís Rodrigues: Cães de pastoreio nascem pastoreando as coisas. Mas temos que ter muito cuidado. Apesar de amarem o que fazem – e isso podemos ver explicitamente nos rabos abanando ou mesmo na seriedade com que trabalham – o treinamento precisa ser bem feito. O cão precisa de maturidade suficiente para conseguir lidar com as responsabilidades do trabalho, a confiança em si mesmo deve ser construida em conjunto com o treinador e o treinamento. Pegar um cachorro imaturo e pedir que ele pastoreie bois adultos, por exemplo, pode acabar o bicho medroso, inseguro e frustrado ou ainda pior, ele pode simplesmente ir com tudo e acabar perdendo a vida.

CANINABLOG: Qual é a relação destes cães com seus donos?

Thaís Rodrigues: No geral, cães de pastoreio são muito conectados aos donos. A regra “quem alimenta é o dono” deixa de fazer sentido com esses cachorros. Para eles, quem trabalha e exige deles é o dono. Na minha experiência com os Blue Heelers tenho visto um outro tipo de relação, muito mais de parceria do que de submissão. Meus cães são meus companheiros, trabalhamos juntos e desta maneira, observo que eles trabalham em qualquer coisa, desde que seja comigo, desde que estejamos juntos na empreitada.

LEIA também no CaninaBlog:

Cão Boiadeiro: Rústico, mas sem perder a doçura

“Falta recurso financeiro para treinar cão-guia no Brasil”

Read Full Post »

Eu sou um Fox Terrier Pêlo Duro, não me confundam com um Schnauzer, pede Ciccilo

EXCLUSIVO | AS PESSOAS vivem confundindo meu Fox Terrier Pêlo Duro, Ciccilo, com um cão da raça Schnauzer. Pode parecer besteira, mas como dona, fico até ofendida ou logo corrijo o “erro”. Esta semana aconteceu mais uma vez em um petshop do meu bairro. Quando fui fazer a ficha de Ciccilo, o atendente perguntou: “é um Schnauzer?”. Bem, esse não foi o único motivo, mas acabei não deixando Ciccilo para o banho.

ESSA EXPERIÊNCIA me fez pensar: será que donos de outras raças também passam pela mesmo e ficam, digamos, ofendidos com a confusão alheia? Para evitar que essas confusões aconteçam, reuni neste post algumas raças que são comumente confundidas no dia a dia por terem, principalmente, uma aparência semelhante.

CONFIRA abaixo fotos que ilustram bem cada uma das raças e quais são algumas características que as diferenciam (a fonte é a Larousse do Cão e do Cãozinho).

Schnauzer Miniatura

SCHNAUZER X Fox Terrier

Fox Terrier Pêlo Duro

PODEMOS dizer que a principal diferença entre o Fox Terrier e do Schanauzer está na cor dos pêlos. O Fox pode variar como pêlo duro ou liso, mas sempre terá a maior parte branca com manchas marrons (principalmente na cabeça) e negras. Já o Schanauzer pode variar no tamanho (gigante, médio e míni), sendo que o míni possui pelagem preta unicolor com uma capa interna pimenta e sal, preto-prateada ou branco puro, com uma capa interna branca.

Lhasa Apso (Imagem: El Minjas)

LHASA Apso X Shih Tzu

Shih Tzu (Foto: Edmilson Reis)

FÁCIL perceber que o tamanho dessas duas raças é praticamente igual, pode variar de 4 até 7 quilos, e ambos nasceram no Tibet. Mas a grande (ou pequena) diferença entre as duas raças é o caimento do pêlo do rosto desses dois cães. No Lhasa a pelagem cai sobre os olhos e forma uma barbicha e um bigode. Já o Shih Tzu lembra a figura de um velho sábio com seu focinho quadrado e o pêlo em cima do nariz crescendo para o alto, deixando os olhos, escuros e arrendondados, mais a vista.

Poodle Gigante

Bichon Frisé

POODLE X Bichon Frisé

OS DOIS são doces cães de companhia. Aliás, o Bichon Frisé chegou a destronar o Poodle nos salões do século XVII. Hoje, os dois dividem o amor de quem adora um cão de pelagem exuberante. O Poodle varia bastante de cor (preta, branca, marrom, cinza ou damasco) e tamanho (grande, médio, mini e toy). Já o Bichon só é encontrado em branco puro e sua tosa é sempre exuberante e arredondada na cabeça – diferente do Poodle, que ganha uma tosa bem baixa em todo o focinho.

Pastor de Shetland

COLLIE X Pastor de Shetland

Este é um cão da raça Collie

QUER deixar um dono de um Shetland irritado? É só perguntar se ele é um mini Collie. Esses dois cães pastores são muito parecidos, só variam no tamanho, mas são registrados como duas raças completamente distintas. Enquanto o Collie nasceu na Escócia no seculo XIV e pesa de 18 até 29 quilos, o Sheltie surgiu nas ilhas do mesmo país e foi somente registrado em 1919 e deve pesar no máximo 9 quilos. Portanto, se é pequeno e não é um filhote, pode apostar em um Sheltie.

VOCÊ continua na dúvida? Então fica a dica: sempre pergunte humildemente qual é a raça antes de fazer uma aposta. Quer surgerir outras raças que são confundidas? Então conte sua experiência nos comentários abaixo.

CONFIRA mais perfis caninos publicados aqui no CaninaBlog:

Pastor de Shetland: O cão que conversa com o dono

Poodle: Versatilidade e puro charme

Bichon Frisé: o cão “gente boa”

Schnauzer Miniatura: Um cachorro flex

Shih Tzu: Um cachorro legendário

Read Full Post »

Boxer: Uma babá quase perfeita

A raça dora estar com pessoas, não importa o tamanho da casa e do apartamento

EXCLUSIVO | NERVOS firmes, equilibrado, seguro e tranquilo. Essas são as principais marcas do Boxer, uma raça com origem alemã e que, apesar do seu tamanho (machos podem pesar mais de 35 quilos), esbanja elegância e puro respeito por todos, até mesmo pelas visitas. “Costumo dizer que o Boxer é o cão da casa, pois recebe, acata e respeita todos os membros da família”, explica o proprietário do Canil Lord Manske, de Itanhaém (SP), atual campeão do Ranking Nacional de Criadores de Boxer CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia – parcial 2011), Marcello Alonso. “Festeja tudo que é agradável ao dono, receberá o estranho como se fosse velho amigo, se este for recebido amistosamente pelo dono”, completa o criador.

Não convive vem com outros cães, só quando acostumado desde filhote

EQUILÍBRIO em corpo de cachorro

ESSE comportamento equilibrado do Boxer também é desejável quando o assunto é a segurança do dono. “Ele é totalmente implacável quando parte para a defesa dos que ama”, explica Alonso. Por isso mesmo, é um cão fácil de ser treinado e, segundo o criador  que também é Técnico em Obediência Básica e Comportamentalismo pela ABRAFA (Academia Brasileira de Formação de Agility), dispensa adestramento. “Uma boa educação é suficiente”, garante.

A RAÇA, entretanto, não convive muito bem com outros cães, principalmente do mesmo sexo – ao menos que seja criado com outros cães desde filhote ou se tratar de um Boxer com pouco instinto de liderança. “O Boxer é rinheiro, gosta de provocar e puxar briga”, explica o criador. No entanto, não há ambiente proibido para um cão dessa raça. Por se tratar de um cão muito gentil, se alimentado e com água a disposição, dificilmente fará bagunça ou derrubará objetos, mesmo em ambientes pequenos como apartamentos. “A raça é atleta, mas gosta de estar com o dono e o acompanhará da corrida até o cochilo no sofá.”

INTERESSADO pela raça? Confira se você é o dono certo para o Boxer:

Se privado da companhia de pessoas, o Boxer pode ter sua expectativa de vida abreviada pela metade

PERSONALIDADE | Vigilante, ativo e brincalhão, porém de uma firmeza sem igual quando a situação é séria.

LONGEVIDADE | Cerca de 12 anos. Mas se privado da companhia de pessoas pode ter sua expectativa de vida abreviada pela metade.

TAMANHO | Machos até 35 quilos e fêmeas cerca de 25 quilos.

PELAGEM | O padrão oficial permite o dourado e o tigrado, podendo ambas as cores possuirem marcações em branco que não excedam 30% do volume da cobertura corporal. O branco não recebe pedigree, mas não é considerado uma anomalia e não usado na reprodução pois não se sabe se a união entre brancos pode ou não gerar filhotes anômalos.

CUIDADOS | Dispensa escovação semanal, mas é conveniente uma rastelada a cada 10 dias. Banhos a cada 30 dias são mais que suficientes.

ESPAÇO | Adora estar com pessoas, não importa o tamanho do espaço. Um passeio de 20 minutos diários aos cães de apartamento é suficiente.

SAÚDE | Possui propensão a desenvolver miocardiopatias. Segundo o criador, a ideia de que a raça tem propensão a desenvolver câncer é um mito.

SOCIABILIDADE | Não convive vem com outros cães, a não ser que seja acostumado desde filhote. Não recomendada convivência com gatos e roedores pois são altamente predadores.

PREÇO | Varia de R$ 1.000 até R$ 2.500 com pedigree.

DICA DO CRIADOR | Se aprender a latir desnecessariamente, usará este mecanismo para se comunicar, por isso é conveniente não deixar o Boxer latir a tôa.

DONO IDEAL | Muito indicada para famílias com filhos por sua alta tolerância com crianças. É chamado de o cão babá. Também aprecia donos que gostam de praticar exercícios.

(Colaboração e imagens: Canil Lord Manske)

QUER conferir o Perfil Canino de outras raças? Então veja outros posts já publicados no CaninaBlog. Basta clicar aqui.

Read Full Post »

A paixão por cães pode se manifestar de várias maneiras. Qual é o seu tipo de amor?

EXCLUSIVO | CONHEÇO pessoas simplesmente apaixonadas por certas raças de cachorros e à elas dedicam uma vida inteira. Também conheço pessoas totalmente devotadas a causa dos cães abandonados e, por isso mesmo, defendem a ideia de que nossos melhores amigos não deveriam ser comprados, somente adotados.

SERÁ que há uma posição certa ou errada nesse empasse? Para alimentar essa discussão, convidamos uma representante dos excelentes criadores de raças de cães e uma defensora exímia dos vira-latas. E para a cereja do bolo, uma dona que optou por uma família canina baseada na diversidade. Confira o depoimento de cada uma dessas mulheres apaixonadas por cães e dê também a sua opinião no final deste post.

EM PROL DOS VIRA-LATAS

Luciane Sarraf(Luli)Responsável pelo calendário Celebridade Vira-Lata e voluntária da Natureza em Forma

“O problema no comércio é que só os poucos canis sérios ajudam no trabalho de conscientização. A maioria irresponsável foca na venda simplesmente. Quando uma pessoa passa a levar em consideração a adoção – e reforço que há doação de um enorme volume de cães de raça, ou seja, não estou falando de SRD versus raças, mas de adoção versus compra -, ela já se mostrou mais aberta para receber todas as informações sobre o universo animal.

Animais sobreviventes de condições inadequadas possuem maior resistência física e já estão castrados, vermifugados e com as primeiras vacinas – isso pode signficar uma economia incrível. Além disso, a gratidão que um adotado expressa é algo mágico e a recompensa na consciência é indescritível. Na adoção de cão adulto também já conhecemos o temperamento do animal, o que permite realizar um encaixe perfeito entre o animal e o adotante.”

EM PROL DOS CÃES DE RAÇA

Camilli é apaixonada por Frenchies há 10 anos e tem dedicado sua vida à raça

Camilli Chamone – Proprietária do canil Ville Chamonix que cria Bulldog Francês

As raças caninas foram criadas para atender às demandas do homem em tempos passados. Veja o Poodle, por exemplo: eles eram cães que buscavam a presa na água e levavam até o caçador. Essa é a razão dos pompons de pêlo na região dos braceletes e do tórax – para proteger do frio. O que eu gostaria de dizer é que existe uma história por trás de todas as raças caninas. Não precisamos mais de um cão de busque a presa na água, entretanto, perpetuar a criação de raças caninas é perpetuar uma história.

Sem dúvida, a maior vantagem de uma cão de raça é saber o que está se levando para casa. Obviamente, nestes casos estou falando de quem adquire um cão de um criador descente, que se preocupa em criar cães para perpetuar boa saúde, bom temperamento e tipicidade física. Para receber um cão temos que estar preparados para ele. Temos que saber o que podemos oferecer e o que não podemos. Portanto, quem ama escolhe raça também!”

Danielle mora com os quatro cachorros e dedica boa parte do seu dia aos seus filhos caninos

FAMÍLIA CANINA E DEMOCRÁTICA

Danielle Koetz – Mãe de dois Labradores (Lucky, Toddy) e a SRD Dulce

“Sempre convivi com cães de raça e sem raça definida. Eu acredito que a adoção sempre é uma boa opção. Fora o Lucky, todos os outros cães da família foram adotados, inclusive os de raça. O Toddy, por exemplo, foi doado porque “cometeu o crime” de crescer demais e dar muito trabalho por ter um problema dermatológico típico da raça. Nessa relação entre humanos e cães existem muitas verdades que precisam ser aprendidas por nós e talvez a maior delas é: você deve amar incondicionalmente seu cão, seja ele pequeno ou grande, peludo ou não, com personalidade tranquila ou agitada.”

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: