Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Fernanda Vieira’

A perda de um cachorro pode ser uma oportunidade para aprendermos sobre a morte

EXCLUSIVO  | DIA 2 de novembro é dedicado àqueles que já se foram. Cemitérios de todo país estarão lotados de familiares e amigos que, motivados pela saudade, levam flores e até conversam com as lápides. Esta tradição católica, com origem no século II, foi criada para que os mortos, muitas vezes esquecidos, recebessem uma oração pelo menos uma vez no ano.

A DOR do luto é uma das mais profundas que sentimos e ela não se restringe aos seres humanos. Quem já amou e perdeu um cachorro sabe o quanto dói dizer adeus. “É muito normal sentirmos um vazio enorme que parece que não será mais preenchido. Chorar e sofrer pela perda é normal e saudável”, afirma a médica veterinária Alessandra Keidann do Bolicho do Bicho. “O que não podemos deixar acontecer é que este sentimento se prolongue por muito tempo.”

O PAPEL da fé

A RELIGIÃO e a fé sempre auxiliaram o ser humano a lidar com esta perda. Para a zootecnista Fernanda Vieira, criadora do blog Os Animais e o Espiritismo, acreditar que a vida de qualquer ser vivo acaba no momento em que seu corpo padece é desconfiar das perfeitas leis que regem o mundo. “É acreditar que seres vivos são como máquinas, que quando inutilizadas, já não existem mais”, argumenta.

PARA o Espiritismo, todos os animais não-humanos estão sob os cuidados dos espíritos superiores, são como anjos da guarda que, no momento do desencarne, auxiliam os outros animais a desligarem-se do corpo físico. “Quando o dono é uma pessoa amorosa que verdadeiramente cuida de seu amigo, a equipe espiritual tem maior facilidade neste processo.” Isso significa que o amor que o tutor direciona ao animal, auxiliaria no encaminhamento do cachorro para o plano espiritual e na continuidade da sua evolução espiritual.

A REAÇÃO ao luto

A MÉDICA veterinária Alessandra Keidann confirma que a perda de um animalzinho é uma situação delicada. “Sempre que preciso encarar um proprietário que acabou de perder um animalzinho me coloco em seu lugar.” A questão é ainda mais profunda quando envolve crianças e pode servir, acreditem, como um grande aprendizado. “Acho interessante aproveitar a experiência para explicar sobre a vida e a morte. Afinal, morreremos um dia e é muito mais fácil falar sobre isso quando se trata de um animal do que quando se trata de um parente”, defende Alessandra que já viveu na pele a experiência.

“O PRIMEIRO bichinho dos meus filhos que faleceu foi a Marrie, uma gatinha que durou apenas 14 dias após a adoção. Eles tinham 3 e 1,5 anos quando isso aconteceu, mas não houve nenhum tipo de trauma. Pelo contrário, ambos choraram a perda (assim como eu), superaram e hoje eles falam sobre o assunto com normalidade e tem uma nova gatinha, a Mole”, relata.

LEIA também no CaninaBlog:

Serviço ajuda donos a lidar com a perda de seus pets

Quando o pior acontece no pet shop

Como os cachorros encaram a morte

Anúncios

Read Full Post »

"Quem maltrata um animal é alguém que não aprendeu a amar", Chico Xavier

EXCLUSIVO | QUEM sofreu com a despedida do seu melhor amigo canino já se perguntou: será que há algo esperando por ele do outro lado? Para o Espiritismo, essa vida é parte de uma constante evolução. Estão ai diversos filmes, como Chico Xavier e Nosso Lar que mostram, de forma popular, como o chamado codificador do Espiritismo, Allan Kardec, trata dessas fases da alma.

MAS será que somente os seres humanos reencarnam? Na sua obra chave, O Livro dos Espíritos, Allan Kardec escreve: “Acreditar que Deus haja feito, seja o que for, sem um fim, e criados seres inteligentes sem futuro, fora blasfemar da Sua bondade, que se estende por sobre todas as suas criaturas.”

ESSE trecho intrigante tem motivado muitos debates sobre o papel dos animais na evolução humana. É o caso da zootecnista Fernanda Vieira que há mais de um ano iniciou um estudo focado das questões espirituais e os animais, e criou o blog Os Animais e o Espiritismo, que reúne mais 15 estudiosos. “Acreditamos que, apesar de vasta literatura, este ainda é um assunto pouco discutido e conhecido, com muitos tabus a serem vencidos. A internet nos auxilia a disponibilizar informações de qualidade para quem se interesse”, afirma.

PARA Fernanda é ilógico e até imoral pensar que outros animais estão na Terra para simplesmente servir os seres humanos. “Por que Deus, em sua infinita bondade, faria seres que não evoluem e apenas vivem para servir o homem? Por que apenas o homem seria o filho privilegiado?”, questiona.

A ZOOTECNISTA e estudiosa do Espiritismo Fernanda Vieira deu uma entrevista para o CaninaBlog. Confira abaixo as principais partes dessa conversa:

CANINABLOG: Qual é o papel dos animais segundo o Espiritismo?

Fernanda Vieira: Segundo a Ciência, todos somos animais. Segundo o Espiritismo, também. Os seres humanos diferenciam-se dos outros por um estado de consciência mais elevado. Todos nós, animais humanos e animais não humanos, temos nossa importância nesse planeta em que hoje vivemos. No livro A Espiritualidade dos Animais – Qual a sua dúvida sobre o tema?, Marcel Benedeti escreve que não é correto dizer que somos seres humanos, e sim que estamos no estágio da humanidade. Todos os seres vivos têm um mesmo princípio e caminham para um mesmo objetivo: a evolução espiritual. Nas obras da Codificação, Allan Kardec também escreve sobre os outros animais. Na questão 601 em O Livro dos Espíritos: “(…) tomemos os nossos mais inteligentes animais, o cão, o elefante, o cavalo (…)”. O que não exclui tantos animais que a Ciência já provou como detentores de certa inteligência.

CANINABLOG: Dentro deste pensamento, qual é o papel do cachorro?

Fernanda Vieira: Cada ser vivo tem seu papel a ser desenvolvido nesta vida. De maneira simples, podemos pensar que todos somos espírito, mas em níveis de evolução diferentes. Espíritos que encarnam em corpos humanos, como nós, estão à frente na caminhada espiritual evolutiva, quando comparados a outros espíritos que estão encarnados em outros animais, como exemplo os cães. Sabe-se que animais como cães, gatos, pássaros, vacas, galinhas – ditos animais domésticos – não reencarnarão em animais ditos selvagens, pois a proximidade com o ser humano ajuda estes espíritos a evoluirem mais rapidamente. Assim, a responsabilidade que temos sobre os outros animais é ou deveria ser a de um irmão para com o outro. Isto, infelizmente, não é observado na sociedade humana da atualidade.

CANINABLOG: Como podemos contribuir com a evolução dos cachorros?

Fernanda Vieira: Independentemente de filosofia, quem ama verdadeiramente um amigo (humano ou não) já auxilia sua evolução espiritual. Podemos lembrar de vários casos de cães que foram maltratados uma vida inteira por seus donos, o que os levaram a eliminação (eutanásia), por serem considerados perigosos demais para o ser humano. Estes seres tiveram, de alguma maneira, sua evolução marcada pela dor e sofrimento, o que pode provocar um atraso na retomada de sua evolução espiritual na mesma encarnação ou em outras. Emmanuel (psicografado pelo querido Chico Xavier) escreveu: “Nós, seres humanos, estamos na natureza para auxiliar o progresso dos animais. Na mesma proporção que os anjos estão para nos auxiliar. Portanto, quem maltrata um animal é alguém que não aprendeu a amar.” O fator principal para a evolução de qualquer ser é o amor.

LEIA também no CaninaBlog:

Os cães brancos do filme “Nosso Lar”

Pastor Branco Suíço: Um cão dedicado à família

Vira-lata atua em filme sobre Chico Xavier

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: